Oi pessoal!

Junto com a história da Disney World, estão seus hotéis ou resorts maravilhosos! Alguns foram inaugurados junto com o parque, em outubro de 1971.


O primeiro que vou falar é o Disney´s Contemporary Resort. Esse é um hotel bem conhecido e mesmo que você não tenha se hospedado nele, se você já foi para o Magic Kingdom, você já passou por dentro dele. Isso mesmo, se você pegou o Monorail, você passou por dentro desse hotel.


Como eu já disse, ele foi aberto em 1971 com 1.041 quartos. A localização dele é entre Bay Lake e a Seven Seas Lagoon. Seu nome original seria Tempo Bay Resort, mas durante as obras, todos se acostumaram a chamá-lo de Contemporary Hotel, então Roy Disney decidiu que seria esse o nome.

A ideia de design da construção foi bem parecida com a ideia de Walt Disney para o Epcot. Foram feitas estruturas de aço e o quartos foram criados fora do local e depois inseridos por guindaste, para caberem na estrutura. O que acabou custando muito caro para a Disney.

No 15 andar do resort, ficava o Top of the World, um restaurante muito popular na época, que servia brunch, almoços e jantares e apresentava o show Broadway at the Top todas as noites. Seu prato mais popular era um bolo de morango chamado Make Your Own. 


Em 1993 o restaurante foi substituído por outro restaurante, o The California Grill. Ele é bem requintado e de lá você consegue ver os fogos de artifício.

Já no térreo, outro restaurante fez sucesso, o Concourse Grand Canyon, inaugurado em 1994. Esse era o restaurante principal do hotel, onde eram servidos o café da manhã, almoço e jantar. Dele você conseguia ver o monorail passando. Em 2008 ele foi substituído pelo Contempo Café, um restaurante com um serviço mais rápido.


No primeiro andar do hotel, havia uma área para as crianças, o Fiesta Fun Center, que era um restaurante de serviço rápido e também uma área de entretenimento para as crianças, com um fliperama grande e um cinema. Depois que os parques começaram a ficar abertos até mais tarde, essa área já não era tão necessária assim, então foi substituída pelo The Wave of American Flavors, um novo restaurante com serviço completo e também uma área de bar cocktails.


Originalmente, o Hotel só tinha um edifício principal, a Contemporary Tower, onde ficavam e ficam a maioria das instalações, como o salão principal, restaurantes, lojas e mais de 300 quartos. É nesse edifício também que passa o Monorail.

Em 2009, foi inaugurado o Bay Lake Tower, um novo edifício que segue o design do edifício original. Alguns quartos tem janelas completas com vista para o Magic Kingdom e outros foram projetados para os hóspedes assistirem os fogos enquanto relaxam na banheira. Puro luxo, né?

Nesse hotel ainda tem um restaurante muito famoso, o Chef´s Mickey, com serviço de buffet e só atende para três refeições, café da manhã, brunch e jantar. Ele é um dos restaurantes que oferecem refeição com os personagens. 


Disney´s Contemporary Resort
Localização: 4600 North World Drive, Lake Buena Vista, Flórida
Diárias: a partir de $ 498.00
Lazer: 2 piscinas, uma com tobogã aquático, 2 spas com hidromassagem, área de jogos, quadras de basquete e tênis, vôlei de areia, aluguel de cabanas e barcos, pesca, trilha de corrida, acampamento com fogueira, cinema no gramado e um cruzeiro com piratas.
Wi-fi: gratuito
Estacionamento: $ 24.00 por noite
Transporte: monorail, barco e ônibus para os parques


O hotel oferece muitas comodidades, para saber mais, é só acessar a página:    https://disneyworld.disney.go.com/pt-br/resorts/contemporary-resort/

Beijinhos!!!


Oi pessoal!

Mais uma série chega ao fim e não porque realmente chegou, mas porque infelizmente foi cancelada. Estou falando de Suits, uma série que ficou no ar por 9 temporadas e chegou ao fim.

Em 2011, estreava a série Suits, escrita por Aaron Korsch. A história gira em torno de uma firma de advocacia, onde o personagem principal, o advogado corporativo, Harvey Specter, procura um novo sócio para firma. Ao entrevistar alguns candidatos, ele se depara com Mike Ross, um rapaz com uma mente brilhante, porém, sem formação em direito e muito menos em Harvard.

Gabriel Macht é Harvey Specter (2011 / 2019)
A partir daí a história se desenrola. Muita coisa acontece nessas 9 temporadas. Alguns personagens saem, outros entram, como acontece em toda série. 

Patrick J. Adams é Mike Ross (2011 / 2019)
O mais legal dessa história é ver como Mike e Harvey vão sair da mentira que eles criaram e o quanto eles são brilhantes no que fazem. Fora os diálogos entre os dois que são ótimos. As estratégias que eles criam para vencer os casos também são excelentes.

Mas eles não são os únicos personagens que encantam. Meu destaque vai para Donna Paulsen e Louis Litt também. Donna é a secretária de Harvey, que ouve tudo, sabe de tudo, resolve tudo e sabe mais sobre Harvey do que ele mesmo. Fora que a atriz é linda e super charmosa.

Sarah Rafferty é Donna Paulsen (2011 / 2019)
Louis é um advogado que também se torna sócio na firma e que te faz sentir amor e ódio. É sem dúvida a parte cômica da série. Um pouco bobo e atrapalhado, mas também muito inteligente e querendo a todo custo chamar a atenção de Harvey sempre, a quem sempre admirou e até idolatrou. Tem um coração enorme e não mede esforços para ajudar quem ama.

Rick Hoffman é Louis Litt (2011 / 2019)
Rachel Zane, a personagem da ex-atriz e hoje Duquesa de Sussex, Meghan Clarke, foi uma paralegal que depois se tornou estudante de direito e teve um romance com Mike Ross, que resultou em casamento. Os dois saíram da série no final da sétima temporada. Meghan Clarke se casou com o Príncipe Harry, então sua vida agora é outra.

Não posso deixar de mencionar outros personagens que também fizeram com que Suits fosse especial. Jessica Pearson (Gina Torres), a poderosa chefona, que deixou a série na sétima temporada e ganhou uma série só sua, um spin-off de Suits, intitulado Pearson, que conta como foi o início dela em Chicago. Robert Zane (Wendell Pierce), pai de Rachel, também se junto a firma e teve um papel essencial para que ela não acabasse. Alex Williams (Dulé Hill), amigo de Harvey, que disputou uma vaga de sócio com Samantha Wheeler (Katherine Heigl), protegida de Robert. E, Katrina Benett (Amanda Schull), a protegida de Louis, que ganhou destaque na série também, se mostrando uma advogada digna de se tornar sócia.


Foi uma das séries mais legais e interessantes que eu já vi. Por sua história e seus personagens que conseguiram cativar o público. O último episódio foi ao ar na semana passada e a última temporada só será exibida pela Netflix ainda nesse mês de outubro, mas já vou adiantar, o último episódio é de se emocionar!

Beijinhos!

Oi pessoal!

A partir de hoje aqui no blog, começo a falar mais sobre a Disney e seu universo. História, curiosidades, dicas e tudo que envolve esse universo mágico que tem milhões de fãs no mundo inteiro. Vou focar mais em Orlando, mas os outros lugares também serão lembrados por aqui.

O primeiro parque da Disney, a Disneylândia, foi aberto em 1955, em Anaheim, na Califórnia. Em 1959, a Walt Disney começou a procurar um novo local para o seu segundo parque. Eram poucas as pessoas que visitavam o parque na Califórnia, porque a maioria da população morava na região leste do Estados Unidos. 

Em 1963, Walt Disney sobrevoou a região de Orlando, na Flórida e viu que era um bom lugar e que também já havia um aeroporto construído. A Walt Disney Company comprou então 11.106 hectares de terra, mas só revelou que era a compradora em 1965.

Infelizmente, Walt Disney faleceu de câncer em 1966 e não pôde ver seu projeto sendo realizado. Seu irmão, Roy Disney, deu continuidade ao seu legado. A partir de 1968, o Walt Disney World Resort começava a ser construído. 

Na foto abaixo, você vê o castelo da Cinderela terminando de ser construído, em fevereiro de 1971. A estrutura dele foi toda feita com vigas de aço, concreto, gesso e fibra de vidro, de tijolo mesmo só o toque final. 


Em primeiro de outubro de 1971, inaugurava o Walt Disney World Resort, que incluía não somente o Magic Kingdom, mas também Disney´s Contemporary Resort, o Disney´s Polynesian Resort e o Disney´s Fort Wilderness Resort & Campground. Nesse dia, o parque contou com a presença de 10.000 visitantes.


Para esse momento, claro que ia ter uma parada, porém ela só foi acontecer no dia 25 de outubro, quando o parque foi oficialmente aberto. A Grande Parada de Abertura, aconteceu no dia 25 de outubro de 1971, às 14h. Mickey e sua turma festejaram esse grande momento com um desfile e muita música. 


Uma banda com 1.076 músicos se alinhou da Main Street até o castelo, tocando 76 trombones. Um coro se juntou a banda e no último verso da música, os trombones maiores se abriram liberando vários balões coloridos. Fico só imaginando como deve ter sido lindo esse dia e que sorte de quem estava lá...(eu nem era nascida ainda!).

A visão de Walt Disney é que o visitante se sentisse realmente em um mundo mágico, bem diferente da vida real. O Monorail fez parte dessa visão e quando o parque inaugurou, haviam 10 trens prontos, com 5 vagões cada um, para levarem os visitantes para esse incrível mundo de fantasia.


"O Walt Disney World é uma homenagem à filosofia e a vida de Walter Elias Disney e aos talentos, dedicação e lealdade de toda a organização da Disney, que tornou realidade o sonho de Walt Disney. Que a Walt Disney World traga alegria, inspiração e novos conhecimentos a todos que vierem a este lugar feliz...um reino mágico onde os jovens de todas as idades podem rir, brincar e aprender juntos. Dedicado neste dia, 25 de outubro de 1971." Roy O. Disney
Quando o parque abriu, tinha somente 23 atrações e somente 3 delas eram exclusivas do parque de Orlando, O Salão dos Presidentes, o Mickey Mouse Revue e o Country Bear Jamboree. O Mickey Mouse Revue era um show com personagens animatrônicos, mas que não existe mais. As outras 20 atrações do parque, foram cópias das atrações da Disneyland, que foi inaugurada primeiro, em 1955.


Por hoje é só, mas na próxima segunda volto com mais história pra vocês.

Beijinhos!

No último domingo aconteceu o maior prêmio da televisão americana, o Emmy Awards. 

Embora muito criticada por seu final, Game of Thrones foi indicada a 32 prêmios, porém só levou 2. A grande vencedora da noite foi a série Fleabag, com 4 prêmios.

Confira aqui os premiados da noite:

Melhor Série de Drama
Melhor Atriz em Série de Drama (série Killing Eve)
Melhor Ator em Série de Drama (série Pose)
Melhor Atriz Coadjuvante em Série de Drama (série Ozark) 
Melhor Ator Coadjuvante em Série de Drama (série Game of Thrones)
Melhor Roteiro, Melhor Direção e Melhor Atriz e Melhor de Série de Comédia
Melhor Ator de Série de Comédia (série Barry)
Melhor Atriz Coadjuvante de Comédia (série The Marvelous Mrs. Maisel)
Melhor Ator Coadjuvante de Comédia (The Marvelous Mrs. Maisel)
Melhor Direção, Melhor Roteiro e Melhor Minissérie
Melhor Atriz em Minissérie ou Filme para a TV (Fosse / Verdon)
Melhor Ator em Minissérie ou Filme para a TV (Olhos que Condenam)
Melhor Atriz Coadjuvante em Série Limitada ou Filme para a TV (The Act)
Melhor Ator Coadjuvante em Série Limitada ou Filme para a TV (A Very English Scandal)
Melhor Filme feito para a TV
Melhor Reality Show de Competição
Melhor Roteiro e Melhor Talk Show de Variedades

Muita gente criticou o fato de Game of Thrones ter ganho como melhor série, mas a verdade é que o final pode ter sido ruim, mas o restante da série foi muito bom e achei o prêmio bem merecido. Fechou com chave de ouro (pra compensar, né?, kkkk)

Até breve!

Oi pessoal!

Depois de um longo tempo sem postar, eis que volto com um filme que não fez muito sucesso e talvez muita gente não tenha visto.

Poderia Me Perdoar? (Can You Ever Forgive Me?) é um filme que conta a história verdadeira da escritora Lee Israel, que é interpretada, brilhantemente, por Melissa McCarthy. Aliás, nunca pensei em vê-la em um filme dramático, mas ela está ótima (fora a transformação excelente!) e inclusive concorreu ao Oscar de melhor atriz por esse filme.


Lee Israel foi uma escritora de biografias, foram 4 no total, porque após a última, que foi sobre a esteticista Estée Lauder e que foi um fracasso de vendes, sua carreira desmoronou. Ela também não era daquelas pessoas mais sociáveis e simpáticas. Inclusive no filme ela diz que prefere gatos do que pessoas. 

Lee resolve escrever outra biografia, sobre Fanny Brice, uma atriz dos anos 30, que só fez 7 filmes. A editora de Lee não se interessou pela biografia e ela, que já estava com algumas dívidas, resolveu ganhar dinheiro de outra forma.


Foram através de falsificações de cartas de personalidades falecidas que Lee conseguiu sobreviver durante um tempo. Após as cartas começarem a gerar dúvidas dos compradores, um amigo de Lee passou a vendê-las por elas, mas também não demorou muito para descobrirem que se tratava de uma fraude.


O filme não é dos mais agitados e animados, mas é interessante. No início parece até um pouco chato, mas você acaba querendo saber o que vai acontecer e como ela vai se livrar dessa confusão que criou.
  • Poderia me Perdoar? (Can You Ever Forgive Me?)
  • Ano: 2018
  • Duração: 107 minutos
  • Direção: Marielle Heller
  • Elenco: Melissa McCarthy e Richard E. Grant
Melissa McCarthy e a verdadeira Lee Israel

Já assistiu esse filme? Me conta o que achou! 

Assim como os Vingadores, parece que outra trajetória está chegando ao fim. X-Men: Fênix Negra, chegou para dar fim a uma história de 20 anos e 12 filmes (incluindo Deadpool). 

Sobre a personagem principal:

Jean Grey ou Fênix, é uma mutante capaz de ler, controlar e atacar mentes de outras pessoas. Também pode levitar, voar, mover e quebrar coisas só com a força da sua mente. Ela é tão poderosa que seus poderes podem destruir galáxias.



Sinopse:


Em X-Men: Fênix Negra, os X-Men enfrentam seu inimigo mais formidável e poderoso: um deles, Jean Grey. Durante uma missão de resgate no espaço, Jean é quase morta quando atingida por uma misteriosa força cósmica. Quando ela volta para casa, essa força não só a torna infinitamente mais poderosa, mas muito mais instável. Lutando com essa entidade dentro dela, Jean desencadeia seus poderes de maneiras que ela não pode compreender nem conter. Com Jean fora de controle e ferindo aqueles que ela mais ama, ela começa a desvendar a linha que mantém os X-Men juntos. Agora, com esta família desmoronando, eles devem encontrar uma maneira de se unir, não apenas para salvar a alma de Jean, mas para salvar o próprio planeta de alienígenas que desejam se armar com essa força e governar a galáxia.

Elenco e Personagens:





Se você não lembra muito bem da história e quiser se atualizar antes de assistir esse, segue a ordem dos filmes:

- X-Men: O Filme (2000)
- X-Men 2 (2003)
- X-Men: O Confronto Final (2006)
- X-Men Origens: Wolverine (2009)
- X-Men: Primeira Classe (2011)
- Wolverine Imortal (2013)
- X-Men: Dias de Um Futuro Esquecido (2014)
- X-Men: Apocalipse (2016)
- Logan (2017)